Varejo

Confira as principais tendências da NRF Big Show 2022

Na sua 110º edição, a NRF Big Show carrega muita história, credibilidade e referência para os varejistas do mundo. Acompanhe o que aconteceu!

NRF Big Show
Por Redação em 18 de janeiro de 2022

A Beauty Fair esteve em Nova York – com uma delegação de 80 empresários do mercado da beleza – entre executivos de perfumaria e da indústria – para prestigiar a 110º edição da NRF Big Show.

Entre a programação, a agenda da Beauty Fair incluiu uma imersão recheada de visitas técnicas, palestras, debates, exposições e muito networking.

Para esse ano, o evento contou com cerca de 30 mil varejistas, fornecedores e especialistas vindos do mundo todo, o que torna a NRF uma oportunidade incomparável.

O evento antecipou as maiores tendências, insights e estratégias do varejo, incluindo o mercado da beleza, para 2022. E a Beauty Fair selecionou os pontos principais para você, em primeira mão.

NRF Big Show: o palco das novas tendências para o varejo

NRF Big Show, 2020 – Nova York 

Na sua 110º edição, a NRF Big Show já carrega muita história, credibilidade e referência para os varejistas do mundo todo.

Todas as conversas, palestras e insights que rolaram no evento são previsões do que vai acontecer nos próximos meses. Por isso, ficar a par de tudo que aconteceu deve ser a meta para quem atua no mercado da beleza.

Para que você tenha noção da importância do evento, passaram por aqui, entre outros gigantes do mercado internacional, nada menos que: 

  • Brian Cornell – CEO da Target;
  • Rob Hampson  e Libby Penner da Unsplash; 
  • Patrice Louvet, CEO da Ralph Lauren; 
  • John Furner, CEO e presidente US Walmart; 
  • Vivek Sankaran, CEO Albertsons;

 

Brian Cornell, CEO da Target, deixou insights impressionantes

Brian Cornell na NRF 2022 | Reprodução

O executivo Brian Cornell, premiado como “Visionário 2022” pela NRF, trouxe insights do seu negócio para a plateia do evento, em uma conversa mediada pelo presidente da NRF. 

A verdade é que, nos Estados Unidos, fala-se muito da cadeia de abastecimento, falta de mão de obra qualificada, inflação, mas continua-se a celebrar o engajamento dos consumidores em meio à pandemia. 

“Isso me dá muita esperança no futuro. As pessoas aproveitaram as compras de final de ano. No Conselho de Administração da Target falamos sobre os desafios do Covid e a importância de sermos resilientes, mas quando olhamos para o consumidor, vemos que temos que ser adaptáveis. Não  há como ter bola de cristal e antever os próximos meses”, disse o gestor.

As lições da pandemia se resumem em sermos adaptáveis e resilientes. Precisamos ouvir, ajustar e adaptar conforme a necessidade e momento.  

Brian continua: “Injetamos bilhões de dólares remodelando e criando novas lojas, quando todo mundo estava falando ao contrário. Quando anunciei isso, recebi uma reação muito fria das pessoas. Investimos em mão de obra, modelo de distribuição, com entregas rápidas. E isso nos ajudou a acelerar. Eu não tinha ideia dos desafios que iriam vir”.

Ele conta que, na pandemia, a Target usou suas lojas como hubs para entregas rápidas e, com isso, aceleraram o negócio. “Combinamos o melhor dos dois mundos. O prazer de comprar na loja física e o conforto de comprar on-line e retirar na loja ou receber em casa. Fizemos muitas parcerias com outras marcas e aprimoramos o modelo de multicategorias, que foi e será muito importante no nosso negócio, com o conceito de ‘você encontra tudo num só lugar’”.

Inflação 

Brian foi categórico: os consumidores sempre buscam preços mais baratos. Muitos vão escolher novas marcas. Mas um olhar apurado de como os consumidores reagiram em fases passadas de inflação é importante para entendermos o futuro. Os consumidores são muito adaptáveis. 

Pontos altos de investimento para um resultado tão positivo:

  • Treinamento, bônus e aumento de salário;
  • Iniciativas para atrair talentos;
  • Liderança forte;
  • Cultura clara que cuida do crescimento e de manter a equipe unida;
  • Me envie novidades da NRF;
  • Metaverso será tendência também no varejo;

 

Metaverso no mercado da beleza

O metaverso já está na pauta de inovações para ajudar a tocar os negócios no futuro. Será importante entender como funcionará essa dinâmica, principalmente para atender a geração Z de consumidores, ou seja, os nascidos após 1995.

Hoje, o varejo é omnichannel e fomos  forçados a investir nessa conexão do físico com o digital. Mas a Geração Z já nasceu em múltiplos canais.  

O desafio está, então, com os CEOs do varejo, com média de 58 anos, a entregarem a melhor experiência de compra. Afinal, em 8 anos, esses consumidores serão metade da população mundial. 

97% dos Gen Z usam as redes sociais como principal fonte de inspiração e gastam muito em artigos virtuais. Por isso, nosso desafio é saber pensar de forma não-binária: on-line e off-line. Isso porque, para a geração Z, está tudo conectado. 

Mas como transportar essa realidade para o mercado de beleza? Apostamos que muitas experiências serão feitas online e os salões irão alternar entre ambiente virtual e físico – com acompanhamento e gamificação da saúde capilar, por exemplo.

Já imaginou um jogo em que você ganha pontos quando trata as madeixas em casa com os produtos sugeridos – e comprados – no salão?

3 Tendências para o varejo

De forma geral, três principais tendências foram previstas para o varejo, em 2022 e próximos anos, que prometem vir com tudo.

1- Pensar no canal físico como ponto de apoio para todas as estratégias. Um exemplo: clicar no mundo virtual e retirar na loja. 

3- Abraçar o crescimento de canais digitais não tradicionais: live commerce, social commerce (Pinterest, Tik Tok, Instagram), assistentes virtuais e ambientes gamificados. 

3- Meta commerce (metaverso): pode ser a melhor oportunidade de Marketing e Vendas do futuro.

Pode parecer distante da realidade, mas jovens na Coreia do Sul, da classe média, já estão comprando mais artigos digitais do que reais. Por exemplo, a Nikeland, loja virtual da Nike no metaverso, atua com integração do mundo real com o virtual no Roblox. 

Ou seja, já é uma realidade. Sua loja já tem um avatar para usar como identidade visual em 2022? Pense nisso!

Consumidor em primeiro lugar

Sabe aquela máxima de que o “cliente sempre tem razão”? Então, essa tem sido uma pergunta feita pelas empresas há décadas, mas o fato é que, no mínimo, o cliente tem algo mais importante que isso: ele tem escolha. 

O líder de insights do varejo da Kantar enumerou algumas tendências que colocam a experiência do consumidor em primeiro lugar. Segue o resuminho:

  • Aceleração da compra on-line;
  • Fullfilment em qualquer  lugar. Consumidor empoderado decide onde comprar, com qual valor e onde receber;
  • Tecnologias emergentes para tornar as experiências mais convenientes e imersivas;
  • Social shopping: compra pelas redes sociais;
  • Conceito de bem-estar como tendência;
  • Valor da comunidade. Os Compradores pagam mais por produtos de empresas com valores nos quais melhor se identificam. De olho nesse comportamento, mais de 200 empresas assinaram o pacto de zerar a emissão de carbono;
  • Crescimento dos marketplaces;
  • E-commerce. Uso da ultrapersonalização dos produtos  para aumentar vendas e fidelidade dos compradores;

Muita coisa interessante, concorda? E olha que foi só um compilado do início! Até o dia 21, muita coisa vai acontecer e você vai ficar por dentro de tudo, só acompanhar nossos canais de comunicação.